Criptomoeda chama cada vez mais a atenção do mercado – beOne
Segurança digital é indispensável para evitar golpe online
maio 31, 2021
Exibir tudo

É crescente o número de informações sobre criptomoeda, mas essa novidade é vilã ou heroína no mercado financeiro?

Ela tem sido muito procurada por causa da elevada rentabilidade que conseguiu oferecer.

Também há quem alerte para as ciladas que elas representam.

Se você nunca ouviu falar em moedas digitais, saiba agora de que se trata essa alternativa de investimento.

A moeda digital foi criada independente das autoridades

Criptomoeda é o dinheiro virtual utilizado no ambiente digital para pagar por produtos e serviços usados no dia a dia. Ela não pode ser falsificada, não é controlada pelo governo, nem tem custo de transferência. Seu sistema é protegido por criptografia, o que garante a segurança das operações comerciais.

Muita gente está acostumada a fazer transações financeiras online, mesmo assim, poucas pessoas sabem o que é e como funcionam as criptomoedas. Tal desconhecimento é normal. Só quem trabalhava com informática antes de 2009, sabia de que se tratava, Porém, esse tema já evoluiu bastante na última década.

Você já ouviu falar na criptomoeda mais famosa do mundo? É o Bitcoin. Ele não é a única moeda digital, porém, daqui a pouco, citaremos outras alternativas. Agora, vamos tratar do surgimento do dinheiro digital, como o conhecemos hoje.

Ele só se tornou possível porque, muitos anos antes, os profissionais de informática já haviam desenvolvido a tecnologia de criptografia. Ela foi o pano de fundo que garantiu o surgimento de um novo tipo de dinheiro que circulasse independente das autoridades monetárias e com segurança nas operações.

Ao mesmo tempo em que a criptografia ficava mais sofisticada, um programador conhecido como Satoshi Nakamoto (pseudônimo) criou o ambiente virtual chamado Blockchain. Trata-se de um tipo de livro de registros digital, bastante específico e diferente, inclusive porque é difícil de ser invadido por hackers.

Mais tarde, Nakamoto usou essas duas tecnologias para criar o Bitcoin e fazer com que ele circulasse no cyber espaço com eficiência e sem risco. O passar do tempo mostrou que isso poderia crescer e hoje em dia o dinheiro digital é bem real.

Criptomoeda tem certas vantagens a quem quer investir

Criptomoedas são lucrativas e merecem atenção.

A criptomoeda pode ser muito lucrativa, mesmo assim, exige mais conhecimento de quem quer investir nessa novidade.

Uma das vantagens das criptomoedas está no fato de não precisarem do governo para serem emitidas. Exatamente por circularem de forma independente do Estado, a cotação delas não varia de acordo com as decisões do Banco Central, como ocorre com o dólar, por exemplo.

Quer outro benefício dessa autonomia? Fazer transferências para qualquer lugar do mundo, sem precisar de intermediário. E é exatamente no processo de troca de valores, incluindo os registros e as conferências das operações, que são criadas novas criptomoedas para remunerar quem está envolvido nessa tarefa.

Os responsáveis pelo registro das operações são chamados de mineradores. Eles oferecem os próprios computadores para aumentar a capacidade de processamento na hora de concretizar as transações financeiras. A validação delas e a geração de novas moedas fazem parte de uma operação complexa.

Quem quiser adquirir criptomoedas, pode procurar uma corretora tradicional, pesquisar fundos de investimentos com carteiras desse tipo ou uma exchange descentralizada. Devido à necessidade de operar máquinas com elevada capacidade de processamento, não é mais possível se tornar minerador usando computador doméstico. Atualmente, empresas compram equipamentos voltados especialmente a tal atividade.

Por outro lado, a novidade também tem seus pontos fracos. As criptomoedas são muito instáveis e podem perder muito valor de um dia para o outro. Especialistas recomendam que investidores reservem até 2% do patrimônio nesse tipo de ativo.

Milhares de pessoas no Brasil já pagam boletos e cartões de crédito com criptomoedas. Mesmo assim, elas são vistas por aqui, mais como investimento, do que como moeda propriamente dita. Há inclusive expectativa de que no futuro a moeda digital seja incluída na declaração de imposto de renda.

O Bitcoin foi apenas a primeira moeda digital que surgiu

O Bitcoin foi a primeira moeda digital criada nos moldes atuais.

O Bitcoin é não só a primeira moeda digital no formato atual, como também a mais conhecida hoje em dia no mundo.

Como a tecnologia das criptomoedas já está bem avançada, surgiram outras moedas virtuais que concorrem com o Bitcoin. Elas trazem diferenciais no nível de segurança e anonimato, na velocidade da transação, no algoritmo usado para realizar as operações e, claro, nas taxas de retorno.

A lista abaixo representa apenas exemplos de criptomoedas e não diz respeito a nenhuma referência de importância ou nível de valorização. Hoje em dia, existem dezenas delas no mercado.

  • Ethereum
  • Binance Coin
  • Polygon (Matic)
  • Cardano
  • Dogecoin.

Muita gente está investindo em criptomoedas e a rentabilidade delas chama a atenção. Há exemplos que ultrapassaram 1.000% de valorização em três meses, mesmo assim, esse jogo não é para amadores. É preciso entender muito bem suas regras e saber como se proteger.

Além do lucro, especialistas afirmam que as criptomoedas vieram para mudar o setor financeiro. Eles acreditam que a revolução será semelhante àquela que nós vimos na área de comunicação, com o surgimento da internet e dos celulares. Trata-se de uma mudança que veio para ficar e quem não se adaptar às novidades, ficará na poeira.

Sendo assim, pode ser uma boa ideia começar a (pelo menos) olhar para essa oportunidade com mais atenção. Em vez de mergulhar de cabeça, veja como está o ambiente, sinta a temperatura desse mercado e veja como estão agindo quem está em um nível semelhante ao seu. A ideia é só aprender de que se trata e a lidar com elas.

Criptomoeda também pode resultar em grandes perdas

Nem todo mundo é a favor da criptomoeda e vários economistas fazem críticas bem específicas a tal moeda. Elas são vistas como muito especulativas e o anonimato de sua posse dá margem a várias atividades ilegais, como tráfico e lavagem de dinheiro.

A inexistência de um governo centralizado à frente das operações, bem como a falta de regras e legislações, faz com que não haja nenhuma segurança em relação às reservas financeiras. Quem perde dinheiro, não tem o que fazer, nem com quem reclamar.

Quem analisa o setor, também argumenta que grandes investidores, que têm bilhões em criptomoedas, manipulam o mercado. Eles são conhecidos como “baleias” e, ao retirarem exorbitantes quantias aplicadas, a cotação da criptomoeda cai. Isso pode levar a grandes perdas, do dia para a noite.

Ainda existe o alerta de que a elevada procura por criptomoedas está criando uma bolha, algo como o que ocorreu com o setor imobiliário nos Estados Unidos, em 2008. Existem divergências sobre esse ponto, pois há quem defenda que tal movimento de alta seja a prova da expansão do mercado.

O mais importante, é você saber de que se trata essa novidade. Pesquise bastante para não perder oportunidades que podem surgir, mas também seja muito cauteloso e previdente. Se quiser investir, escolha um valor que não lhe faça falta, ou seja, pode ser perdido, caso algo de pior aconteça.

Dessa forma, você vai conhecer as regras do jogo, analisar (na prática) os riscos dele e ver se vale à pena investir em criptomoedas. Fique atento, pois como em um cassino, é possível ganhar ou perder muito dinheiro. Só não dá para ficar chorando o leite derramado.

Os comentários estão encerrados.

PORTAL