Duas mulheres olham uma vitrine bem montada para as vendas de Natal.
Ainda dá tempo para lucrar com as vendas de Natal
dezembro 22, 2020
Exibir tudo

Milhões de pessoas já estão quebrando a cabeça para descobrir como vão continuar pagando o convênio, que vai ficar cada vez mais caro em 2021.

A pandemia de Covid-19 impediu que as empresas do setor aumentassem o preço das mensalidades no ano passado e, agora, o reajuste vem acumulado.

Diferente do que as pessoas imaginam, é possível ficar sem esse tipo de assistência médica, garantir consultas e exames particulares e ainda ter dinheiro no bolso.

Saiba qual é o caminho das pedras para se livrar desse tipo de cobrança.

Aumento do convênio agrava saúde financeira da família

O valor da mensalidade dos planos de saúde pesa cada vez mais no orçamento e em 2021 a situação vai piorar. Mesmo assim, não há motivo para se desesperar porque existe uma alternativa bem viável e com muitas vantagens.

Contratar ou manter em dia o pagamento do convênio está cada vez mais difícil, não é mesmo? E a partir de agora, vai ficar ainda pior porque este ano o reajuste virá em dobro. Essa facada no bolso é mais um peso nas despesas do dia a dia.

O aumento da mensalidade será elevado porque as empresas do setor não puderam corrigi-la no ano passado, por causa da Covid-19. Agora o acerto virá mais alto, tendo em vista compensar o congelamento ocorrido em agosto de 2020.

Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), quem tem plano de saúde deve pagar entre 20% e 30% a mais no valor da mensalidade. É curioso notar que o ordenado não acompanha o crescimento do custo de vida. O salário mínimo em 2019 era R$ 1.045 e foi agora está em R$ 1.100, um aumento de 5,3%.

Para aliviar um pouco o choque no orçamento, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou que o reajuste seja feito aos poucos, ou seja, no decorrer de 2021. Mesmo assim, ele já começa a ser feito a partir de janeiro e vai acumular com outras despesas comuns do início do ano.

A preocupação com a saúde nunca foi tão grande quanto agora e os custos para cuidar dela estão crescendo. As famílias estão se adaptando como podem às mudanças ocorridas nos últimos meses e certamente é necessário encontrar alternativas para se virar e resolver os problemas que aparecem.

Veja como a situação pode ser mais grave em alguns casos.

Clientes mais velhos vão pagar ainda mais pelo convênio

Casal de idosos reflete sobre como vai pagar o convênio.

Quem passa de uma faixa de cobrança para o nível seguinte, pode ver o valor da mensalidade dobrar durante o ano.

Pagar convênio é importante, mas quantas vezes por mês você vai ao médico? Claro que existem emergências, mesmo assim, quantas vezes elas ocorreram nos últimos tempos?

O custo do plano de saúde é bastante alto e quase sempre esse serviço deixa de ser utilizado. É mais ou menos como pagar a TV por assinatura e assistir só aos canais da TV aberta.

Muita gente deve desembolsar o dobro do valor estipulado em 2020 e isso pode acontecer com quem passa de uma faixa etária para outra. O convênio é mais caro para quem é mais velho.

Veja a divisão das faixas etárias:

  • 0 a 18 anos
  • 19 a 23 anos
  • 24 a 28 anos
  • 29 a 33 anos
  • 34 a 38 anos
  • 39 a 43 anos
  • 44 a 48 anos
  • 49 a 53 anos
  • 54 a 58 anos
  • 59 anos ou mais.

Milhares de pessoas ficaram desempregadas no ano passado e até agora não há sinais de como será a recuperação do país. Também há uma pedra no caminho.

Especialistas apontam que a inflação deve continuar crescendo nos próximos meses, mas tenho certeza de que você já pensa nisso cada vez que volta do supermercado.

Quem ficou sem trabalho e ainda possui plano de saúde está fazendo as contas para ver por quanto tempo consegue mantê-lo. Corta despesas, aperta o cinto, faz malabarismo com o orçamento.

O medo de ficar sem assistência acaba levando a dívidas enormes. Ao viver assim, qualquer um perde a paz, o sono e a saúde. É um círculo vicioso.

Perder o convênio não significa deixar a saúde de lado.

Descubra como você pode continuar se cuidando e ainda ter vantagens no dia a dia.

É possível viver tranquilo sem precisar pagar o convênio

Casal com filha de 7 anos brinca no parque e está feliz porque não se preocupa com o convênio.

A qualidade de vida também é conquistada por meio da gestão financeira e em 2021 o convênio pesará no orçamento.

A situação de quem não tem plano de saúde pode ser melhor do que muita gente imagina. Claro que existem casos especiais, mesmo assim, o panorama deve ser analisado com atenção.

Vamos lá.

Normalmente, o plano de saúde é mantido com o objetivo de passar em consultas de rotina, fazer exames e ter segurança numa situação de emergência.

As consultas custam a partir de R$ 100; já os exames, depende da complexidade deles. Mesmo assim, a maioria não é cara. Dá para pagar tudo com o equivalente gasto por mês no plano de saúde. O cenário só vai mudar se alguém precisar ir várias vezes (além do retorno) ao médico. Basta fazer as contas.

Quem deixou de ter convênio, deve calcular o quanto consegue reservar todos os meses para a saúde. Se você precisa pagar boleto para ter disciplina, crie um voltado a essa finalidade.

várias empresas na internet que disponibilizam esse serviço.

Essa quantia só pode ser usada para despesas médicas. Dessa forma, você não vai mexer no salário quando for ao médico se tiver uma dor de barriga.

Isso não acontece no pagamento do convênio e você ainda fica sem a grana, usando ou não os serviços dele. A grande vantagem, na reserva financeira, é que o dinheiro está sempre nas suas mãos. Hoje em dia, isso é muito importante.

Se você ficou mais tranquilo ao ver que nada de ruim vai acontecer se não tiver plano de saúde, vai gostar ainda mais de saber como ter bastante desconto não apenas nas consultas e nos exames, mas também em clínicas de estética, salões de cabeleireiro e demais serviços usados no dia a dia.

O clube de benefícios é a opção mais barata e vantajosa

Os clubes de benefícios são uma ótima alternativa para quem quer cuidar da saúde sem gastar os olhos da cara. Já ouviu falar deles? Vou contar de que se trata.

Eles funcionam como um clube tradicional. Você se torna associado, paga anuidade e em troca recebe algumas vantagens. Tal despesa, inclusive, pode ser parcelada.

O Clube Levida é o maior clube de saúde e bem-estar e ainda oferece várias vantagens que fazem diferença no dia a dia. Você certamente vai ver o quanto vale à pena se associar.

Em primeiro lugar, é importante saber que ele está ligado a mais de 400 parceiros, de quase 100 segmentos. Veja alguns deles:

  • Médicos de várias especialidades
  • Dentistas
  • Psicólogos
  • Nutricionistas
  • Oftalmologistas
  • Drogarias
  • Farmácias de manipulação
  • Laboratórios de análises clínicas
  • Clínicas de exames de imagem, cardiológicos, oftalmológicos
  • Hospitais
  • Pronto Atendimento 24 horas.

Na prática, quem é sócio do Clube Levida gasta menos para cuidar da saúde. Além disso, evita as internáveis filas para consulta e realização de exames do Sistema Único de Saúde (SUS).

Você pode agendar consultas com médicos particulares de qualidade, porém, sem gastar tanto. Os profissionais credenciados cobram entre 30% e 60% a menos pela consulta e essa redução com certeza já faz diferença no seu orçamento.

O propósito do Clube Levida é fazer o máximo para que o associado também cuide do próprio bem-estar. Prova disso está na parceria firmada com os demais segmentos:

  • Lojas de produtos naturais
  • Comércios de suplementos alimentares
  • Clínicas de estética
  • Cabeleireiros
  • Barbearias
  • Restaurantes
  • Pizzarias
  • Seguradoras de veículos
  • Serviço de troca de óleo.

Eles oferecem abatimento do preço, que varia de 10% a 80% do valor cobrado de quem não é associado do Clube Levida.

Ainda há mais vantagens

Como o título de sócio é cobrado só uma vez por ano, você não arca com nenhuma mensalidade por ter acesso a todos esses benefícios.

Pode usá-los assim que fizer o primeiro pagamento, pois todas as modalidades são isentas de carência e sem limite de idade.

Aliás, no Clube Levida, o preço do título não cresce à medida que o cliente fica mais velho.

Sem dúvida, o clube de benefícios é um alternativa muito bem-vinda para quem não aguenta mais pagar o convênio ou quer atendimento melhor e mais rápido do que o do SUS.

Sendo assim, pense na sua situação e imagine como ela pode melhorar.

Aproveite a oportunidade!

Os comentários estão encerrados.

PORTAL